FESTIVAL ELETRONIKA 15 ANOS

O Eletronika – Festival de Novas Tendências –  comemorou em 2013 15 anos de existência. O evento aconteceu entre os meses de novembro e dezembro, em Belo Horizonte. Foram 12 artistas – dentre eles nacionais e internacionais – que se apresentaram nos palcos do Teatro Oi Futuro Klauss Vianna, entre os dias 28 de novembro e 1 de dezembro em uma linda edição comemorativa.

Desde sua concepção, o Festival tem como principal pilar a possibilidade de tornar acessível ao público o que há de mais vanguarda na produção cultural do mundo. Através de atividades de reflexão, formação e experimentação, o Festival Eletronika propõe debates que reconstroem a cena cultural mineira a cada edição.

O Eletronika 2013 passeou pelo que há de mais inovador na produção de música experimental brasileira, subvertendo rock, MPB, pop, música ambiente, eletrônica e até mesmo heavy metal. Já o recorte internacional apresentou pela primeira vez em Belo Horizonte uma série de artistas que são destaque nas principais publicações de vanguarda do mundo. Assim, artistas de renome internacional se misturaram com artistas locais nas apresentações da cidade. Todos em um mesmo espaço, tornando o evento um local de intercâmbio de ideias e discussões sobre novas tendências.

O Eletronika – Festival de Novas Tendências mais consolidado do Brasil é realizado pela Malab Produções, agência mineira referência em produções inovadoras nos campos artísticos, culturais, ambientais e sociais, com direção geral de Aluizer Malab, empresário reconhecido no cenário cultural pela participação em diversos festivais de música e teatro do Estado; e Marcos Boffa, um dos maiores ícones do underground brasileiro, diretor artístico do Planeta Terra Festival (2007 – 2012) e Sonar Brasil (2004 e 2012), atuou também durante anos na extinta Motor Music, produtora, loja, selo e distribuidora mineira que trouxe ao Brasil bandas como Yo La Tengo, Mudhoney, Señor Coconut e Atari Teenage Riot. A edição 2013 do festival teve a curadoria assinada por Chico Dub, produtor cultural, DJ e pesquisador musical que assina também a curadoria de importantes festivais pelo país, como o Sónar São Paulo, o Invasão Paraense, festival inteiramente dedicado à música do Pará, e o Festival Novas Frequências. Chico é co-idealizador e roteirista do documentário “Dub Echoes”, primeiro longa-metragem a mostrar a importância do dub jamaicano para o nascimento do hip-hop e da música eletrônica.

 Depoimento - Oi futuro - Roberto Guimarães - Festival Eletronika 15 edição

Galeria Oi Futuro também recebeu a 3ª edição do SIMBIO, projeto de artes visuais que abordou temas contemporâneos, como a arte colaborativa, a simbiose artística e a preocupação na capacitação constante de público e profissionais de Arte Contemporânea. As obras foram expostas no local entre os dias 5 de novembro de 2013 e 2 de fevereiro de 2014.

Ao longo de sua história, o Eletronika ocupou os principais espaços culturais da cidade, primando pela revitalização de espaços esquecidos ou pela ocupação inovadora de espaços tradicionais da cidade, como Museu de Artes da Pampulha, Casa do Conde, Palácio das Artes, Parque Municipal, Teatro Francisco Nunes, Chevrolet Hall, Espaço Centoequatro, Serraria Souza Pinto, Cine México, entre outros.

Passaram pelo Eletronika tanto artistas renomados quanto em começo de uma carreira de sucesso, como: B.Negão, LCD Soundsystem, The Twelves, N.A.S.A., Mallu Magalhães, DJ Mau Mau, Marcelo D2, Max de Castro, DJ Marlboro, DJ Marky, Birdy Nam Nam, Anoraak, Minitel Rose e Rubin, Iconili, Rogermoore, Ladytron, entre muitos outros. Além dos eventos realizados em Belo Horizonte, o Eletronika já se apresentou em Salvador, Belém e Rio de Janeiro, além das parcerias com grandes festivais do gênero, como Sónar, na Espanha; Club Transmediale, na Alemanha; e Mutek, no Canadá.